25 de fevereiro de 2013

Constelação, desencontros e incertezas



Ele voltou, foi confuso e perturbador. O moço dos olhos pequenos e pretos ganhou outra chance. A distância diminuiu e o desencontro prometeu não (re?)surgir. Ainda não sei se será. Um 'senti sua falta' não convence o coração muito tempo, ele é bobo mas não é idiota.

Certeza? De nada. Talvez é uma palavra mais certa. Falamos em cinto de castidade, ele diz que machuca, eu concordei. A metáfora foi boa, o resultado não me emocionou, não me fez crer. Machuca sim, entretanto eu também sei ferir. Espero não ferir nem machucar, a ninguém, muito menos a mim.

Estou convencida que minha cama está grande demais e meu coração vazio demais. Não me falta companhia, mas estou escolhendo solidão. Constelação não, cometa. Não ignore meu aviso, preste atenção. Não o quero como qualquer um, não me basta. Aprenda!

Meus pés estão protegidos mesmo sem o cobertor. Com meu moço, eu me sinto segura. É um pouco assustador, mas estou tentando me acostumar. Quero o coração dele e não é para cozinhar e comer, é para guardar dentro do meu. Acho que estou bem, com ele acho que sim...

2 andarilhos:

VELOSO disse...

Quem disse que a poesia não pode ser bem humorada! Tudo de bom em tudo e sempre menina!

Juliana Lira disse...

Espero que sim, torço muito que sim.
Que emoção! ELe voltou...
Isso já é em si uma coisa incrível.

=(

Milhões de beijos

 

Caminhos de Camila Template by Ipietoon Cute Blog Design