Esta é uma carta para você mesma. Sabe Camila, Dezembro é um mês de recomeço, não de desfecho. Há dois anos você por pouco não viveu o teu "fim". Dezembro que prometia ser lindo e doce, acabou virando um pesadelo real e dolorido. Mas você sobreviveu aos piores dias da sua vida. Então, calma... As situações não são tão ruins quanto parece no momento da tristeza.

Você tem feito um bom trabalho ao não se entregar e tentar se reerguer. Ainda precisa de ajustes em seus parâmetros e decisões, entretanto, saiba que está no caminho. Não posso afirmar se é o correto, mas ao menos está seguindo sem medo. Isso aí garota! É para frente que se anda, lembre-se disso.

Agora me escute: você merece mais! Você não precisa se contentar com pouco, pois você é muito! A vida lhe deu mais uma chance de vivê-la, então não desperdice seu tempo com nada sem sal, morno ou meia boca! Queira bocas inteiras, trabalhos desafiadores, viagens incríveis! Sonhe, planeje e realize. Você pode. Você é capaz.

Permita-se ser feliz, queira ser feliz. Seja feliz em plena segunda-feira e na TPM também. Seja feliz em um pub de rock em Belo Horizonte e seja feliz também no trecho da BR-280/SC. Felicidade é um estado de espírito, não se esqueça disso. Seja você e se alguém não gostar disso, ok. Você precisa aprender a respeitar que nem tudo pode ser da maneira que você quer e precisa aprender a deixar para lá a lâmpada queimada, pois não há nada o que se pode fazer, exceto trocá-la.

Seja o sol na vida da sua família e dos seus amigos. Se importe com quem se importa contigo e não tenha medo de demonstrar. Distância existe mas presença é algo que ultrapassa simplesmente o contato físico, contudo saiba que nada substitui um abraço apertado. Por isso sempre que puder, esteja presente na vida daqueles que fazem seu sorriso mais largo. E no mais, continue seguindo seus caminhos e que encontre muitas flores e poucas pedras!


Carinhosamente,
Camila Blopes



Será que algum dia iremos nos ver? Você foi embora sem dizer adeus, não quis me contar como você se sentia, nem enviou uma mensagem final para trancar algum pecado. E eu não fazia ideia do que estava acontecendo, do que estava se passando contigo. Eu sei que eu tenho um coração inconstante e confuso. Mas você não se lembra? Você não se lembra de tudo que conversamos? A razão pela qual se interessou por mim? Por favor lembre-se de mim, pelo menos mais uma vez!

Quando foi a última vez que você pensou em mim? Ou você me apagou completamente da sua vida? Eu ainda penso sobre nós e quanto mais me indago, menos eu sei. Te dei espaço para que pudesse encontrar as respostas que precisava. Eu me afastei para que você pudesse ser livre para sentir o que quisesse. Espero que você encontre a peça que falta para que a vida possa voltar a ser delirantemente deliciosa. (Do nosso clichê, você se lembra? Quando eu vou te ver?)

Texto inspirado na canção Don't You Remember by Adele

Ser mulher e estar solteira, incomoda muita gente. Se tiver tatuagem, falar palavrão e beber whisky, incomoda muito mais. Morar sozinha é o paraíso! Juro. Gosto do meu apartamento, decorado e bagunçado por mim. Às vezes recebo visitas, às vezes vou visitar, entretanto permaneço mais no meu canto. Gosto assim. Se isso é solidão? Ah, eu não sei... para mim isso é ser livre. Talvez um dia eu encontre um cara muito foda que me faça querer ser par... que me faça desejar viver uma solidão a dois. Mas até lá... Cheers! Fico com meus discos e meu whisky.