10 de julho de 2012

Continua...


Ela gosta de whisky e da forma como chega em seus lábios e esquenta seu corpo. Ela é uma sobrevivente do rock'n'roll com quadris de pêndulo. Ela tem olhos castanhos profundos que já viram tanto coisa trabalhando nas rodovias daquele enorme país. Quando criança, alguns costumavam chamá-la de "Maluquinha". Ela brigou com quase meio mundo. Desde o tempo da vida dura até os dias atuais, desde quando o cabelo dela era loiro até os dias que está mais magra... Numa noite ela disse: a vida sempre continua! Você precisa ter mais do que dinheiro e bom senso. Você precisa de um coração para seguir o seu próprio caminho A vida vai continuar e o que você não tem agora pode voltar.

Algumas pessoas usam a sua história como um mapa em sua pele, ele era um artista solitário, vivendo sem compromisso e fazia de suas cartas para casa seus melhores escritos, suas obras-padrão de ficção sobre o sucesso imaginário. As garotas da boate era o que ele tinha de mais próximo de amigos, mas para um escritor, a verdade não é grande coisa. Desde o tempo da vida boa até as noites sem dormir e o corpo cheio de hematomas das brigas do fim de semana. Talvez ele diria: a vida continua. Você não pode ter mais do que dinheiro do que bom senso e você precisa ter um coração e querer ter o seu próprio caminho.

Em sua última noite nessa terra, ela não vai olhar para o céu, vai apenas respirar o ar e se deixar envolver pela luz. Em sua última noite na serra, ele pagaria um preço alto para não ter arrpendimentos por ter acabado com aquela história. E não adiantará ele escrever para ela. Nem adiantaria ela ouvir os conselhos da irmã mais velha. Ele vai sofrer, ela irá sofrer... Mas a vida, a vida continua... E logo eles estarão bem, e antes que possam imaginar estarão sofrendo novamente, por outras pessoas dessa vez.
Por Camila Blopes
Texto inspirado na música L.I.F.E.G.O.E.S.O.N. by Noah And The Whale

0 andarilhos:

 

Caminhos de Camila Template by Ipietoon Cute Blog Design