11 de novembro de 2009

Refeições de Pensamentos



Ela chegou do trabalho, apenas trocou a bota por um par de chinelos de dedo. Ainda de uniforme e cabelos preso dirigiu-se a cozinha. Abriu a geladeira, olhou por alguns minutos. Fechou e sorriu. Ainda não estava acreditando que ele viria. Voltou-se para o fogão. Pensou no cardápio que faria para aquele momento tão único. Decidiu-se por simples e gostoso.



Enquanto o jantar estava no fogo, começou a arrumar a mesa, com um forro bonito, pratos, talheres e taças, tudo com muito esmero. Desligou o fogo, estava quase no ponto. Olhou para o relógio de pulso, que ganhou de sua mãe, lembrou dela e sentiu-se feliz. Olhou novamente e percebeu que não tinha muito tempo, antes que sua visita chegasse.


Tomou um banho morno, lavou os cabelos compridos e loiros. Saiu enrolada em sua toalha rósea. Sorria sozinha. Ligou o som e colocou Adele para tocar. Escolheu cuidadosamente cada peça de roupa. Como calçado optou por uma sandália preta, de salto fino e um tanto alto. Perfumou-se de maneira especial e não dispensou a maquiagem. Ajeitou os cabelos, deixando a maior parte totalmente solta.
Brincos de argola e um colar discreto.


Embalada pelas canções romanticas, caminhava dançando pela casa, verificando todos os detalhes. O interfone tocou. Seu coração parou. Era ele! Ela atendeu e reconheceu a voz forte que só ele tem. Ela abriu o portão e disse que poderia entrar. Correu e o esperou na varanda. Ele caminhava rápido. Logo se encontraram. braçaram-se... Não somente com o corpo, mas com a alma também. Ela o pegou pela mão e conduziu pela casa. O fez sentar e buscou uma bebida.


Conversavam pouco, faltavam palavras. A música enchia o ambiente. Levantou-se, terminou o jantar e o convidou para sentar-se a mesa que logo o serviria. Ela acendeu as velas, e pouco tempo depois apareceu. Mas foi ele quem serviu o jantar para ambos. Sorriam com os olhos enquanto comiam. Bebiam pouco. Ele a elogiou, não somente o jantar, mas também seu perfume e sua boca. Ela gostou, muito.


Ele levantou-se e a convidou para dançar. Meio sem jeito encontraram a sincronia e o balanço perfeito. Ela estava de olhos fechado, ele percebeu. Passou a mão delicadamente em seu rosto, afastou um pouco seus cabelos e a beijou. Ela gostou, muito. Continuaram a dançar a noite toda. Sincronia pura. Sentimento intenso. Adele parou de cantar, mas ele continuou a dizer belos versos para ela.



Dormiram. Ela foi despertada com um beijo, junto ele trazia uma bela bandeja de café da manhã. Segundo ele, para retribuir o maravilhoso jantar da noite anterior.

Por Camila Blopes

0 andarilhos:

 

Caminhos de Camila Template by Ipietoon Cute Blog Design