4 de junho de 2008

Atalho a nado

Ando (tento) sempre sorrindo pelos meus caminhos. Às vezes surgem encruzilhadas e tenho que me decidir... daí escolho um e sigo caminhando... caminhando e seguindo.
Claro, de vez em quando me arrependo da escolha que fiz e penso: “Droga, por que é que não optei por aquele outro lá! Aff!”, entretanto não adianta lamentar, o que se escolhe, definido está.
Algum tempo atrás tinha um pensamento constante e incessante em minha mente: “por que tenho que caminhar e escolher e andar e ir tanto assim?! Se atalhos aparecem todos os dias?!”
Fiquei tentada à encurtar minha caminhada...
Então pensei, pensei e pensei... e quando não resisti mais: atalhei.
Não me recordo da escolha que não quis fazer, da decisão que não quis tomar e nem da história que preferi não saber... lembro-me que me embrenhei nos rumos tortuosos que o atalho me levou, cheio de curvas, ladeiras e pedras... me feri e machuquei e doeu e chorei.
Após a vigésima terceira curva, consegui retornar ao meu velho e conhecido caminho de camila, desde então resolvi prometer nunca mais atalhar.
E firmemente estava conseguindo manter minha promessa... até que... senti um desejo imenso de nadar!
É nadar... no mar...
E esse desejo pouco a pouco foi desviando minha trajetória, desviando... e me fez ficar frente a frente ao Mar.
Ao vê-lo assim... de pertinho... me perdi em sua imensidão, o cheiro da maresia era inebriante, o balançar das ondas me atraia e o gosto salgado me deixava fascinada.
Com cautela, de como quem tem medo, molhei primeiro meus pés. “Que frio!” _ Pensei. Não espera que aquele belo Mar fosse tão gelado. Molhei minhas mãos, adorava sentir o sal em minha pele... aos poucos fui me acostumando com seu jeito e resolvi adentrar um pouco mais... estava disposta a conhecer o mar de dentro.
Mas não contava que o Mar fosse me encantar, estava em uma espécie de transe, como marinheiros quando escutam o canto das sereias... com o tranco de uma onda grande e forte: acordei! Consegui boiar antes que aquela água gelada e salgada e perigosa molhasse meu coração. Não! Não molhou meu coração, nem minha cabeça, nem minha alma... posso nadar, sem molhar meus sentimentos.
Não tenho mais cautela ao entrar no Mar.
Eu o respeito e ele (será?) me respeita do jeito dele.
De ontem em diante não atalho mais caminhando... vou nadando...
Por Camila Fernanda

14 andarilhos:

Anônimo disse...

Nade então minha cara, mas não se esqueça que apesar de ir a nado ainda é um tortuoso atalho.
Abraços
Thiago Brummer

Nadja Reis disse...

Achei simplesmente linda esta passagem do seu texto:''posso nadar, sem molhar meus sentimentos''...queria ser como voce,nadar sem molhar meus sentimentos...mas sempre os molho,sempre bjosss

Deusa Odoya disse...

Minha querida amiga.
Obrigado por sua visita ao meu cantinho, volte sempre.

Agora atalhos sempre vão existir em nossas vidas.
Mas paramos fazemos um reflexos de quem somos e como somos, e aí sim amiga , prosseguimos nos atalhos certos da vida.
quanto a escolha do que ser ou não ser, o certo é parar como eu fiz apoesia mudanãs.
Pare e veja seu melhor angulo de vida.
Muito lindo e sublime esse mar.
descnasei nele amiga.

beijos Regina Coeli.

Vinícius Aguiar disse...

Os atalhos presentes em nossos caminhos sempre nos levam às pedras, mas o mar, apesar de seus encantos, também pode nos afogar! E assim vamos vivendo, caminhando e medindo nossos passos para que possamos um dia nadar de verdade e não morrer na praia, sabendo que a felicidade se encontra na ilha mais próxima!!

Beijão e parabéns pelo lindo texto!

Sonho & Sedução disse...

Belo texto... voltarei mais vezes.
Obrigada pela visita no meu cantinho.

BEIJO COM CARINHO

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

que texto facinante, fiquei aqui e "entrei' nele. Adorei.
marthacorreaonline.blogspot.com

Camila disse...

Oh gente obrigada por me lerem...

Thiago não me esquecerei que o Mar. é apenas um atalho, mas obrigada por me lembrar.

Nadja aprendi a dominar esse Mar, mas depois de um tempo! Os outros ainda posso me molhar.

Regina concordo com você que o Mar é mesmo sublime e que é melhor mudar à atalhar!

Vinícius obrigada por suas palavras! Obrigada mesmo!

Sonhos e seduçãoes são quase sinonimos de MAr.

E Marta... que bom que você conseguiu mergulhar em meu Mar. Mas cuidadooo... para não se molhar.

Beijos pra todos

=)

o¤° SORRISO °¤o disse...

Oi Camila. Atalhos sempre vão surgir em nossas vidas, mas mesmo por mar podemos nos machucar e chorar. Mas, o mais importante é que continuamos vivos, mais sábios e volta e meia encontramos atalhos.

Lindo o seu espaço e os seus textos.
E Obrigada por sua visita em meu Blog. Volte sempre!

Ótima quinta para você.

Beijos mil! :-)

Dayane disse...

Ah,meu Deus!Vc parece ter feito uma alegoria sobre a minha vida nesses ultimos tempos!Quase cheguei a me afogar no mar tbm,estava em transe profundo!precisei ficar sem ar para acordar.

Cadinho RoCo disse...

Preciso ir embora para o mar, para a beira do mar, para junto do mar.
Cadinho RoCo

Camila disse...

Oh Moça do "Sorriso" atalhar pelo mar também é arriscado, mas estou aprendendo a lidar com ele.
Obrigada pelos elogios.

Dayane, fiquei muito feliz ao saber que você se identificou comigo... o mar é mesmo cheio de perigos não é mesmo?!
Ainda bem que acordamos a tempo!

Ah Cadinho, se você quer ir ao mar... vamos uai!
Se precisar de algo, conte comigo!

Muito obrigada a todos!

Beijo
=)

- Cah disse...

Aaaa que lindoo hahaaha
voce falou de uma coisa usando outra!
AMEII

muito criativa!

HISTÓRIA CONTINUADA!

Camila disse...

Isso mesmo xará!
Metafóras de minha vida...
Beijo
=)

PS: Vou lá ler

Dani disse...

Que mar perigoso esse heim?
Será que não se molhará nunca?
Bj

 

Caminhos de Camila Template by Ipietoon Cute Blog Design